Saiu na Mídia: Em artigo para o Tela Viva, Pascal Métral, da NAGRA, fala sobre o combate à pirataria

A sofisticação dos piratas para infringir os direitos autorais e emboscar o consumidor alimenta uma indústria criminosa da ordem de bilhões de dólares. Essa dinâmica, descrita no relatório Money for Nothing, mostra existir vários níveis de vendedores de IPTV por assinatura pirata, desde varejistas que vendem o serviço diretamente aos consumidores, a atacadistas que, de forma organizada, roubam o conteúdo e desenvolvem ofertas, anunciadas em redes sociais e páginas web.

Neste artigo, publicado pela Tela Viva, Pascal Métral vice-presidente de assuntos legais, chefe de inteligência anti-pirataria da NAGRA – fala sobre a importância da conscientização do consumidor como peça-chave para o combate à pirataria. Afinal, sem esse elo, a atividade criminosa dos piratas não prospera.

Por isso, desfazer alguns mitos é essencial: o primeiro deles é o de que a pirataria é algo relacionado apenas ao autor da propriedade intelectual ou de grandes produtores que não têm na questão financeira uma preocupação.

A violação do direito autoral é muito mais nociva: impacta na economia do País, pela quantidade de trabalhadores que deixa de ser absorvida pelo mercado de trabalho – estima-se um total de 2,2 milhões de trabalhadores -, alimenta crimes como o contrabando, o tráfico, a sonegação, e reflete, inclusive, nas condições de vida e segurança da população, e, de forma direta, é a porta de entrada para o consumidor ter seus equipamentos vulneráveis a invasões, ataques e infecções por malware.

A boa notícia é que o consumidor não está sozinho nessa batalha contra os piratas. Para saber mais detalhes, acesse o artigo completo clicando aqui.

Tags: