Porta voz do Mizuho fala ao Valor sobre o impulsionamento do yuan

Em entrevista ao jornalista André Mizutami, do Valor, publicada no dia 11 de novembro de 2020, o diretor-executivo e chefe de economia e estratégia do Mizuho para a Ásia e Oceania, Vishnu Varathan, fala sobre os fatores de influência do yuan, na matéria intitulada ‘Há uma combinação de fatores que têm impulsionado o yuan’.

Para Vishnu Varathan, do Mizuho, a recuperação da economia da China é a principal razão para o desempenho forte do yuan, que lista também a expectativa de melhora nas relações entre China e EUA, com a vitória de Joe Biden, e a diminuição do fluxo de saída de capital chinês, dadas às restrições do turismo, em razão da pandemia do novo coronavírus, como fatores de influência sobre essa dinâmica. Além do suporte aos ganhos do yuan, esses fatores alimentariam também a expectativa de uma  volatilidade reduzida e de um risco de conflitos entre China e EUA minorado.

Para Varathan, a crise global, de maneira irônica, levou a uma melhora no balanço comercial da China, com resultado superavitário graças à capacidade de o país reconfigurar a produção para lidar com a demanda gerada pela covid-19, principalmente de equipamentos de proteção. A poupança chinesa, por sua vez, foi canalizada para o mercado doméstico, em razão das restrições de mobilidade. Tais fatores geraram grande impacto no acúmulo de reserva estrangeira, alimentando a pressão de valorização do yuan.

No que toca à dualidade China e EUA, a vitória de Biden eliminaria riscos relacionados aos impulsos imprevisíveis da administração Trump, reduzindo incertezas dessa relação entre os dois países. Pelo lado do dólar, o que pesa, segundo o Varathan, são as expectativas de mais estímulos da política do Fed, por programas de compras de ativos ou de menores “yields” reais, acentuando a fraqueza do dólar.

Atualmente, o cenário com o qual o Mizuho trabalha é o de maior volatilidade, com o dólar na faixa de 100 a 108 ienes, testando o limite inferior. Mas nada impede que a eleição nos EUA e a reação do Fed ao estímulo fiscal no país sejam um catalisador para uma volatilidade mais pronunciada do yuan.

Clique aqui para ler o conteúdo completo na íntegra.

Tags: